segunda-feira, 9 de abril de 2012

Surgem as máquinas e a nova economia muda de face - parte 2

Surgem as máquinas e a nova economia muda de face


Nas cidades industriais inglesas havia também muita mão de obra disponível. Esse processo se explica pela instituição dos cercamentos (enclosures) que promoveu um enorme êxodo rural a partir do século XVII. As terras comunais usadas pelos camponeses eram tomadas pela gentry (nobreza progressista), já influenciada pelas práticas burguesas e com o apoio da coroa britânica, passavam a criar ovelhas para extração de lã, matéria prima fundamental para a indústria têxtil.

Com isso os pequenos proprietários, sem suas terras para trabalhar, migravam em massa com suas famílias para as crescentes cidades de Londres, Manchester ou Leeds, em busca de emprego e sobrevivência. Essa gigantesca massa de trabalhadores deu poder a burguesia industrial de explorar a mão de obra com extensas jornadas, péssimas condições de trabalho, sem nenhum direito trabalhista (pelo menos no começo da Revolução Industrial) e com baixíssimos salários.

Outro elemento fundamental que contribuiu para o pioneirismo inglês foi o fato de ter um governo totalmente voltado para os interesses da burguesia. Como já vimos, ocorreu na Inglaterra a Revolução Gloriosa em 1688 que implantou na ilha o modelo parlamentarista, onde o rei reina mas não governa, pois o chefe de governo é o primeiro ministro, chefe do parlamento. Como a quase totalidade do parlamento era composta por membros da burguesia, todas as leis e medidas de governo eram implementadas em favor dessa classe, que nesse momento priorizava seus capitais na instalação e desenvolvimento das indústrias

Último fator importante a citar é que na Inglaterra havia extensas jazidas de ferro, matéria prima essencial para construção de máquinas, e também de carvão mineral, fundamental como fonte energética para colocá-las em funcionamento.

A partir de 1850 a Revolução Industrial entra na sua segunda fase. Nesse período, o modelo industrial se espalha pela Europa, atinge os Estados Unidos e também chega ao Japão. Do ponto de vista tecnológico, essa fase do industrialismo se constitui como um aprimoramento e aperfeiçoamento das invenções já observadas na primeira fase. Outras indústrias se desenvolvem além da têxtil, com as indústrias química e siderúrgica. O aço logo substitui o ferro. A eletricidade e o petróleo substituem o vapor como fontes energéticas.

Esse é o momento da modernização dos meios de transporte, que além dos trens e barcos a vapor, agora também vêem surgir aviões e os automóveis, movidos com motores à explosão.

É também na Segunda Revolução Industrial que os meios de comunicação sofrem incrível desenvolvimento, com o surgimento dos telégrafos e telefones. Já no século XX, as novas tecnologias, usadas nos meios de comunicação dinamizam cada vez mais a informação e os negócios, enveredando também pelo campo do entretenimento com o advento do radio, cinema e televisão.