sexta-feira, 6 de abril de 2012

A nova economia ampliando o domínio europeu - parte 3 de 5

A nova economia ampliando o domínio europeu -

parte 3 de 5

É importante salientar, mesmo que de forma repetitiva, que para que Portugal e Espanha se aventurassem como pioneiros na Expansão Ultramarina, antes tiveram que passar por dois processos fundamentais para o sucesso de tais empreendimentos: a centralização política na figura dos reis e associação com as burguesias locais. Esta mesma dinâmica ocorreu com França, Inglaterra (já livres da Guerra dos 100 anos) e Holanda, que também mobilizaram imensos recursos para conquista e exploração das novas áreas coloniais.

Voltando a exploração espanhola, o empreendimento marítimo só ocorreu depois de dois fatos essenciais para a historia política da Espanha: o casamento dos chamados reis católicos (Isabel do reino de Castela e Fernando do reino de Aragão) em 1469, e a expulsão definitiva dos muçulmanos (chamados pelos ibéricos de mouros) do ultimo reduto árabe, Granada em 1492. Esses dois fatores combinados sedimentaram a unificação dos reinos e centralizou o poder político, fato que, já vimos, era condição fundamental para a expansão marítima.

Mas Colombo estava certo. Embora acreditasse que tivesse chego às Índias (na verdade atingira ilhas no Caribe), em outubro de 1492 atracou seus navios em terra firme e inaugurou a exploração de todo um continente por quase 400 anos.5